O caso Kindle

Foi noticiado, pela mídia, no mês de julho que a Amazon vendeu, inadvertidamente, reproduções não-autorizadas de livros eletrônicos. Ao perceber o equívoco, a empresa “entrou” remotamente no aparelho Kindle de cada um dos compradores e apagou aquelas obras da memória, reembolsando os consumidores pelo valor que havia sido gasto como os livros que “evaporaram” do leitor de e-books juntos com eventuais marcações ou anotações feitas nele.

kindle_dx_front1

Kindle DX

Para quem ainda não sabe, o Kindle é um aparelho criado pela Amazon.com com a função de ler e-books, jornais, acessar a internet e baixar música. A nova versão do aparelho tem 3,3 gigabytes de memória, capazes de armazenar 3.500 livros, e pode ler os formatos PDF, MP3 e TXT além dos formatos mais utilizados como o DOC.

Mas, voltando ao assunto, a Amazon acessou remotamente o Kindle de diversos usuários e deletou os livros ‘1984′ e ‘Animal Farm’, ambos de George Orwell. 

Esses títulos não estão mais disponíveis para compra na biblioteca da Amazon, mas o fato é que quem já tinha comprado os livros notou que eles simplesmente desapareceram, sem nenhum aviso ou consentimento dos usuários.  A atitude causou grande impacto na opinião pública, levando a empresa a prometer que não repetiria o gesto no futuro.

No Kindle o problema são os livros, mas poderiam ter sido os dados de uma conta de e-mail, que talvez levassem aos dados de uma conta bancária. Imagine que você chegou em casa e notou que sua estante de livros está cheia de buracos, e isso aconteceu porque o vendedor descobriu que não poderia vender aqueles livros para você, então invadiu a sua casa e recuperou os livros. A discussão está esquentando nos fóruns especializados e essa história já se espalha por muitos sites, blogs etc. A ideia geral é de que foi um abuso da Amazon. 

O que também é bastante curioso é o fato de tanto ruído ter sido causado justamente a partir da obra do britânico George Orwell (1903-1950), famoso por sua crítica a uma sociedade sem privacidade.

Veja também: http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1379007

 http://www.meiragoncalves.com/blog/2009/07/30/amazon-e-a-exclusao-nao-permitida-de-arquivos-no-kindle-licoes-do-mundo-virtual/

 http://mobile-libraries.blogspot.com/2009/08/sony-plans-to-adopt-common-format-for-e.html

Fontes:

LEWICKI, Bruno. O direito autoral e o novo cenário digital. Valor Econômico, Rio de Janeiro, p. E2 , 7 ago. 2009.

VASCONCELOS, Nelson. George Orwell e o Big Brother da Amazon. O Globo, Rio de Janeiro, 21 jul. 2009.

Você pode seguir todas as respostas para esta entrada através do feed RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou um trackback do seu próprio site.

Deixe um comentário